30/01/2021
Por Danilo Evaristo em Notas

Sistema penitenciário produz mudas para a agricultura familiar

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP), da Secretaria de Agricultura, da Pecuária e da Pesca (SAPE) e da Emater, e com apoio da Vara de Execuções Penais de Mossoró (VEP), produzirá milhares de mudas no sistema prisional para serem doadas a agricultores que tiveram os cajueiros dizimados pele seca. As primeiras dez mil mudas serão produzidas nos próximos 120 dias.

O pontapé inicial do projeto “Cultivando a Cidadania” foi dado nesta quinta-feira (28), na Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio, em Mossoró, com a participação de 20 internas e o plantio do primeiro canteiro de castanhas de caju.

O secretário da Administração Penitenciária, Pedro Florêncio Filho, explica que as voluntárias estão sendo capacitadas pela Emater e, a cada três dias na lavoura, um será remido da pena. “Esse trabalho tem o viés social de ajudar as famílias que perderam toda sua produção em vários anos de estiagem. Essa ação, como tantas outras que implementamos nessa gestão, melhora o sistema prisional ao qualificar os privados de liberdade, aumentando as chances do egresso trabalhar na fruticultura. Dessa forma, estamos quebrando o ciclo do crime e diminuindo a reincidência criminal. Isso é ação de Estado da governadora Fátima Bezerra, agindo com as secretarias de forma integrada, cumprindo e fazendo cidadania”, explicou.

Secretário da SAPE, Guilherme Saldanha, é um entusiasta do projeto. “O RN tem uma demanda gigantesca por mudas de caju. Atravessamos uma seca prolongada que estimamos perdas de mais de dez milhões de cajueiros, impactando nos empregos e na renda dos agricultores. Hoje, nesse viveiro, demos início a um plantio que trará bons frutos a agricultora do nosso Estado”, disse. As mudas sairão da penitenciária diretamente para as mãos de agricultores familiares que necessitam das políticas públicas. O projeto não tem fins lucrativos e as mudas serão distribuídas de forma gratuita.

A SAPE forneceu uma tonelada de sementes de cajueiro gigante, insumos para o plantio e orientações técnicas. Após o enxerto, explicou o secretário, serão produzidas mudas de diversos tipos de caju, tanto para corte como para a castanha. “Em 120 dias teremos a muda enxertada com variedades diversas e vamos distribuir imediatamente. A ideia é entregar a todas as regiões produtivas do RN”, disse.


Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Busca no Blog

Facebook


Twitter


Parceiros